“Se correr o bicho pega. Se parar o bicho come.”

Outubro/2018

Influenciar e dirigir pessoas, ou deixar que cada uma escolha o seu caminho?

No mesmo momento em que ouço gestores afirmando que determinada pessoa faz trabalhos excelentes porque tem talentos natos para a profissão, como por exemplo “Esse sujeito nasceu com o dom de vender”, ouço essa mesma pessoa dizer que é preciso pagar mais para este profissional para que ele se mantenha motivado e incentivado a continuar nesse patamar de performance. Ou ainda que é necessário buscar formas de melhorar o desempenho de outros profissionais com resultados inferiores.

No mesmo instante em que ouço gestores afirmando que profissionais devem saber o que fazer, recorrendo a seus superiores apenas quando necessário. Todos vivem buscando cursos, palestras, workshops para melhorar sua própria performance e a dos profissionais que fazem parte de sua equipe.

Afinal, um bom gestor deve acompanhar de perto o trabalho de cada profissional que faz parte de sua equipe? Ou deve deixar que cada pessoa faça suas tarefas livremente? Quem é bom fica… Quem é ruim sai!

Se você considerar as descobertas da ciência do comportamento vai concluir que a resposta a essa pergunta deve ser a de que um bom gestor deve fazer os dois! Dependendo do padrão de comportamentos e realizações presentes no repertório de cada profissional. Vamos a alguns postulados importantes da ciência:

  • Todas as pessoas são diferentes umas das outras. Não há nenhuma pessoa igual a outra no mundo todo.

Assim, cada pessoa deve ser tratada de forma específica: Aquela que possui performance elevada pode ser acompanhada mais de longe. Aquela que apresenta performance mais inferior deve ser acompanhada com mais intensidade.

  • Todas as pessoas possuem, sob sua pele, todas as forças naturais (biológicas) para melhorar continuamente seus comportamentos e resultados.

Portanto, todas as pessoas podem atingir patamares elevados de performance. Basta ao gestor orientar a efetiva utilização dessas forças, e a cada profissional fazer seu esforço específico.

  • O padrão de comportamento das pessoas é aprendido. Não existe genes ou dom para alta performance.

Isso significa que todos, sem exceção podem alcançar patamares elevados de competência e realizações. Essa constatação, embora difícil de ser aceita na prática, é extremamente importante porque, por um lado elimina aquela velha desculpa “nasci mais lento e não posso fazer nada”, por outro deixa claro que a qualidade de vida de cada pessoa, e da empresa como um todo, depende unicamente do esforço de cada profissional. Inclusive Gestores-lideres.

  • A melhoria de performance é um processo contínuo. Ninguém alcança patamares elevados de performance de um dia para o outro.

A prática de formas de conduta altamente contributivas vai se aperfeiçoando na mesma medida em que as pessoas vão captando e analisando as consequências de seus próprios atos, sempre na busca por melhores práticas no momento seguinte. E o gestor, como líder, tem a obrigação de fazer essas percepções, análises e melhorias acontecerem.

Bastam esses postulados iniciais e simples para se concluir que qualquer gestor que, realmente deseja construir uma equipe capaz de atingir patamares sempre melhores de realizações, precisa, sim, acompanhar muito de perto aqueles profissionais com maior dificuldade e, deixar mais livre aqueles que já possuem um padrão de performance bastante elevado. Mas, também esse, dependendo das questões novas que surgem a cada dia no ambiente corporativo, precisam de mais orientação e acompanhamento.

Concluindo… Me perdoem…, mas, gerenciar, liderar uma equipe, é incompatível com sossego no ambiente de trabalho. Construir uma equipe de alta performance requer esforço gerencial na prática efetiva de comportamentos capazes de influenciar cada profissional de uma equipe, considerando suas diferenças, na busca constante por melhorias. Todos os minutos de cada dia surgem novas oportunidades para melhorar algo. Pequenas melhorias diárias resultam em realizações excepcionais no futuro. Acho que você já ouviu isso em algum lugar!

Pense nisso!

 

Lauter F. Ferreira
Psicólogo CRP-06/09138-0
Autor do livro: “Construindo Equipes de Alta Performance”
Ayres & Ferreira Ltda.
A Ciência do Comportamento Aplicada – Pessoas e Organizações
lauterferreira@ayreseferreira.com.br
www.ayreseferreira.com.br