Pessoas, antes de produtos !

Dezembro/2018

Sr. Konosuke Matsushita, fundador da Panasonic, escreveu um livro com esse título. Sua tese principal é a de que qualquer produto, seja algo palpável como uma televisão, ou algum serviço como uma orientação médica, é a consequência da aplicação prática da inteligência, habilidade e coragem das pessoas que os produzem. Pessoas que raciocinam em busca de melhorias contínuas em seu ambiente cotidiano, idealizam novas formas de fazer as coisas e criam novos produtos como um habito natural de vida que proporciona valor a uma sociedade. Seja em um pequeno vilarejo, uma organização empresarial ou em um país inteiro, o investimento em pessoas é que proporciona o melhor resultado.

Investir em pessoas não é apenas pagar bons salários, proporcionar bons benefícios, treinamento e oportunidades de carreira, mas fundamentalmente proporcionar um ambiente cotidiano capaz de transformas pessoas comuns em empreendedores habituais. Pessoas que utilizam sua capacidade de percepção, inteligência e coragem para praticar atitudes cotidianas que melhoram seus resultados diários e criam novos processos e novos produtos. Empreendedores naturais!

Como essa categoria de pessoas não nasce pronta, empreendedores naturais são resultados de todo um processo educacional desde a infância, passando pelos bancos escolares e continuando dentro das organizações formais, esta é a principal função dos gestores. São eles os responsáveis por criar um ambiente cotidiano que incentive e eduque empreendedores nas organizações que dirigem, seja elas governamentais, sem fins lucrativos, sejam elas empresas que buscam a lucratividade por meio da oferta de bens e serviços desejado pala comunidade a que servem.

O primeiro conjunto de práticas de gestores – educadores é identificar e compartilhar uma poderosa missão a ser intensamente buscada por todas as pessoas que fazem parte desse grupo. Um grande benefício a ser proporcionado à sociedade a sua volta que justifique sua existência: entretenimento à mão (equipamentos de TV, cinema e rádio, etc.), informação rápida e em abundância (sites de busca na internet), saúde (academias, hospitais, etc.), locomoção rápida e confortável (automóveis, aviões, etc.).

Definir junto com as pessoas um conjunto de práticas cotidianas para buscar informações e executar atividades capazes de produzir os serviços e bens a que se propõe, visando a realização da missão a ser cumprida. Práticas que envolvem habilidades técnicas, éticas, morais e de relacionamento mútuo.

Continuamente observar essas práticas no local de trabalho das pessoas com o objetivo de analisar sua eficiência, incentivar e buscar melhorar ainda mais práticas contributivas e interromper e buscar novas formas de conduta para práticas que se mostram prejudiciais. Aumentando assim o conhecimento e a motivação na busca por práticas mais úteis a cada instante: reforçando praticas contributivas e eliminando praticas prejudiciais no momento em que elas são executadas. Aprendendo diariamente!

Buscar, e orientar as pessoas, na busca contínua por informações de todas as fontes capazes de provocar a inteligência e a criação de novos processos de trabalho, e de novos bens e serviços a serem oferecidos. Seja por meio da imprensa especializada, ou não, livros, cursos, workshops, etc., cabe ao gestor incentivar a busca por informações novas relacionadas a sua missão.

Considerando que as pessoas são todas diferentes e estão em estágios diferentes de conhecimento e performance, considerando que cada pessoas que entra para um grupo traz um padrão de comportamento em parte diferente do que o grupo já pratica, a tarefa do gestor-educador de que estou falando torna-se ainda mais delicada e sutil. É necessário proporcionar a cada pessoa, segundo seu patamar de práticas, o tratamento específico e adequado, o que requer do gestor algumas habilidades importantes:

  • Percepção aguçada. Para identificar e distinguir os diferentes patamares de performance das pessoas que compõe seu grupo.
  • Para praticar com cada pessoas comportamentos educativos específicos e diferentes.
  • Persistência. Fazer com que todos melhorem e avancem, sem desistir de ninguém! É necessário que toda a força humana alcance patamares elevados de realizações.
  • Praticar a metodologia educacional todos os minutos do dia.
  • Por último, e talvez a mais importante, coragem para sair do conforto de sua sala e praticar comportamentos educativos no local de trabalho das pessoas todos os dias.

Há muito ainda a ser descrito sobre as práticas gerencias em seu papel de líder formador de organizações capazes de alcançar alta performance, mas acredito que esses comportamentos são básicos para demonstrar que a vida de gestores que desejam produzir realizações excepcionais é intensa, cheia de emoções fortes! Alegrias, frustrações, ansiedades e felicidades fazem parte de um mesmo dia.

            O gestor que deseja tranquilidade e o conforto de uma sala fechada e com ar condicionado o dia todo, todos os dias, não conhecerá as emoções da realidade e ficará obsoleto em curto espaço de tempo!

Pense nisso!

Lauter F. Ferreira
Psicólogo CRP-06/09138-0
Autor do livro: “Construindo Equipes de Alta Performance”
Ayres & Ferreira Ltda.
A Ciência do Comportamento Aplicada – Pessoas e Organizações
lauterferreira@ayreseferreira.com.br
www.ayreseferreira.com.br