Gestão

Julho/2012

 

O grande problema aqui é que as pessoas não fazem o que precisam fazer com garra a profissionalismo. Ouço essa frase ao menos uma vez por semana, tanto em pequenas como em grandes organizações. O curioso é que ela vem de todos os extratos hierárquicos de uma organização. Diretores reclamam que os líderes e os profissionais operacionais que fazem parte de sua equipe não trabalham com comprometimento e garra. Profissionais operacionais dizem que os líderes e diretores não sabem o que querem e não observam o que realmente acontece na realidade.

Esse tipo de cenário demonstra o estado de governabilidade ou gestão em que vive a maioria das organizações em nossa sociedade. Parece que as empresas conseguem sobreviver e até crescer não tanto por suas habilidades de dirigir seus próprios negócios e seus destinos, mas pela necessidade e procura do mercado! Só se dão conta de que são mal direcionadas e, por isso, não conseguem mais sobreviver quando acontece uma crise de mercado ou quando um concorrente, melhor estruturado, lhe toma os clientes.

Esse estado de coisas me leva a relembrar o significado da palavra “Gestão”. Quando falei em uma palestra que a principal responsabilidade de um gestor, de qualquer nível hierárquico, é manipular o comportamento das pessoas para conseguir os resultados que deseja, teve gente que quase caiu da cadeira. Parece que a palavra “manipular” é muito desumana e dura de ouvir. Mas é a verdade.

Gerenciar significa exatamente isso, dirigir, manipular, agir de forma a modificar algo em outra coisa. Assim, o trabalho de qualquer gestor é dirigir, manipular, modificar os recursos sob sua responsabilidade e outra coisa. De preferência em algo melhor do que ele tinha de início.

Gerenciar uma organização, ou uma pequena equipe dentro de uma organização maior, é manipular, modificar todos os recursos que dispõe de forma a conseguir resultados sempre melhores. Assim, gerenciar é manipular máquinas, equipamentos, materiais, tecnologias, dinheiro e comportamentos humanos na busca por realizações desejadas. Como os resultados são conseguidos no nível mais operacional, o trabalho mais importante de um gestor é manipular, modificar, dirigir o comportamento das pessoas que conseguem esses resultados, fazer com que elas pratiquem os comportamentos mais contributivos possível com a realização dos resultados que desejam.

Assim, não basta que um gerente financeiro deseje reduzir os custos de produção, é necessário fazer com que os operários pratiquem comportamentos que produzam mais com a mesma quantidade de recursos, ou até com menos! Aqui é necessário que outros profissionais também modifiquem seus comportamentos; engenheiros, especialistas em métodos e processos, etc.

Mas o grande agente de transformação é o gestor! Que tem a responsabilidade de manipular e modificar os comportamentos das pessoas que manipulam os recursos.

Esse é o grande enrosco. A grande maioria dos gestores que eu conheço acredita que as pessoas nascem prontas. Negando assim sua responsabilidade de dirigir, manipular e modificar o principal recurso que dispõe e que produz os resultados que procura. Parece que eles acreditam que sua função é apenas observar se as coisas estão dando certo ou não, dar as ordens e esperar que tudo acontece só porque ele mandou.

A grande maioria dos gestores fica muito nervosa porque algo saiu errado, dá uma bronca em todo mundo, às vezes até demite alguns empregados, mas não busca identificar que comportamentos deram errado, definir novas formas de conduta e acompanhar suas praticas. Manipulando, modificando e formando profissionais competentes e compromissados.

Quando as lideranças organizacionais assumirem, corajosa e verdadeiramente, que as realizações que desejam são resultados de seus próprios comportamentos como manipuladores, modificadores e formadores dos comportamentos dos profissionais que fazem parte de suas equipes tenho certeza que teremos organizações e profissionais extremamente competentes e de alta performance. Organizações e pessoas que não sucumbem a crises e que crescem por seus próprios méritos, em qualquer ambiente social.

É absolutamente necessário que todas as pessoas em função de gestão incorporem sua responsabilidade em dirigir, modificar e manipular os recursos de que dispõe e faça isso com toda sabedoria e dignidade que dispõe.

Lauter F. Ferreira
Ayres & Ferreira Ltda.
Melhorando a Performance Humana
lauterferreira@ayreseferreira.com.br