Coaching: Porque esse é o seu trabalho!

Dezembro/2017

 

A palavra “coaching” tem sua origem no “coach”. Aquele tipo de carruagem utilizada antigamente, ou diligência, como os americanos do velho oeste a chamavam. Dirigidas por uma pessoa especializada, que passou a ser conhecida como “coachman” ou “cocheiro” em português.

Tendo como exemplo as habilidades do “coach” em dirigir os cavalos e, por consequência, a carruagem, levando-a a seu destino pré-definido com sucesso, os americanos começaram a utiliza a palavra “coach” para todo tido de profissional que assumia a responsabilidade de “conduzir” um grupo de pessoas a seu destino com sucesso. Inicialmente utilizaram essa palavra apenas para designar o que conhecemos no brasil como “treinador” de algum tipo de equipe esportiva.

Mais recentemente, a partir dos anos 1980 iniciou-se, também nos Estados Unidos, a utilização da palavra “coach” para gestores de forma geral, entendendo que o principal trabalho desses profissionais seria “dirigir” ou treinar outras pessoas que fazem parte de sua equipe e que pretendem alcançar algum objetivo comum.

Nesse ponto de vista o “coach” é um indivíduo possuidor de determinados conhecimentos e habilidades, capazes de lhe garantir a prática efetiva de comportamentos, que influenciam as pessoas que fazem parte de um grupo específico.  Melhorando o patamar de conhecimento, práticas e atitudes desse grupo em uma busca contínua por realizações desejadas por todos.

Considerando que em nosso país a grande maioria da população está sujeita a uma abordagem educacional deficitária, tanto no que se refere a conhecimentos técnicos como no que se refere a atitudes como profissionais e cidadãos, qualquer gestor que deseje alcançar patamares excepcionais de realizações precisa exercer comportamentos como um efetivo treinador e formador das pessoas que fazem parte de seu grupo. Um “coach”. Até mesmo um educador.

Principalmente gestores que atuam no nível mais operacional, encarregados de produção, vendas, etc., não conseguem dirigir suas equipes na realização de patamares elevados se não praticarem atitudes de formação e educação das pessoas que fazem parte dessa equipe.

Por tudo isso, esse é seu principal trabalho: Educar e formar cidadãos profissionais imbuídos de responsabilidade e vontade de construir realizações excepcionais, capazes de contribuir com a organização em que trabalham e lhes garantir reconhecimento, recompensas satisfatórias e felicidade.

Não é um trabalho fácil, visto que deve começar pela modificação de seus próprios modelos mentais, seus conhecimentos, valores e experiências adquiridos até este momento, levando a modificações em seus próprios comportamentos cotidianos.

O gestor-educador, “coach”, deve cultivar o modelo de raciocínios e práticas como estou propondo a seguir:

  • Meu principal trabalho é fazer com que cada pessoa que faz parte da equipe que dirijo tenha sucesso.
  • Todas as pessoas possuem características humanas que lhes possibilitam evoluir como cidadão profissionais de alta performance.
  • As pessoas são todas diferentes. Algumas evoluem mais rapidamente do que outras, mas todas evoluem.
  • Todas as pessoas, a partir das características de cada uma, podem atingir elevados patamares de realizações.
  • É necessário ter disciplina técnica em formação de pessoas para conduzir a equipe na transformação cotidiana de seus padrões de conduta.
  • Perseverar na pratica de comportamentos de educador é uma habilidade que exige esforço emocional para lidar com fracassos momentâneos e sucessos iniciais.
  • Paciência… É uma habilidade que precisa ser cultivada a cada momento por meio de sua prática diária frente a fracassos, pequenos ou grandes, mas que requerem correção educativa.
  • O primeiro comportamento como gestor-educador eficaz é definir claramente o que espero das pessoas que fazem parte de minha equipe. Em termos de comportamentos técnicos, não técnicos. Que tipo de gente quero na equipe.
  • É necessário identificar claramente que realizações, resultados, pessoais e grupais queremos alcançar com os comportamentos descritos.
  • É necessário falar, expor, orientar e negociar, a todo momento, os comportamentos e condutas desejadas.
  • Não basta apenas orientar, é necessário acompanhar continuamente as práticas das pessoas. Vendo seus comportamentos, ouvindo suas ideias, reclamações sugestões.
  • Acompanhar continuamente significa falar para as pessoas o que fazem de contributivo e redirecionar práticas prejudiciais por meio de novas orientações.
  • Periodicamente é necessário conversar com cada pessoa. Identificando ideia, frustrações, medos, vontades e desejos na busca por novas formas de conduta futura.

Ouso dizer que você, gestor, é muito mais um formador de talentos: profissionais competentes e vitoriosos, altamente contributivos. Felizes em trabalhar com você.

Enfim seu trabalho é sair da maciez de sua cadeira e do ar condicionado de sua sala e entrar na quentura da vida de cada pessoa que faz parte de sua equipe… Pessoas que fazem parte de sua vida e seu sucesso profissional!

Pense nisso!

 

Lauter F. Ferreira
Psicólogo CRP-06/09138-0
Autor do livro: “Construindo Equipes de Alta Performance”
Ayres & Ferreira Ltda.
A Ciência do Comportamento Aplicada – Pessoas e Organizações
lauterferreira@ayreseferreira.com.br
www.ayreseferreira.com.br